JORNAL TERESINA NEWS: Julho 2017
loading...

sábado, 22 de julho de 2017

Alta do diesel vai deixar comida mais cara, diz entidade
Alta do diesel vai deixar comida mais cara, diz entidade: Em nota, João Sanzovo, presidente da Abras (Associação Brasileira de Supermercados), afirmou que o aumento no valor dos combustíveis terá reflexo em toda a cadeia de abastecimento
© DR Em nota, João Sanzovo, presidente da Abras (Associação Brasileira de Supermercados), afirmou que o aumento no valor dos combustíveis terá reflexo em toda a cadeia de abastecimento
O aumento dos tributos sobre o diesel deverá refletir em elevação de preços para o consumidor, segundo associações do setor de transportes e de distribuição, que criticou a medida nesta sexta (21).
Em nota, Clésio Andrade, presidente da CNT (Confederação Nacional do Transporte), diz que o aumento de impostos sobre o diesel terá um impacto de 2,5% sobre o preço do transporte de cargas. Como consequência, afirma, haverá aumento de preços de alimentos e de outros produtos.
A ABComm, do setor de comércio eletrônico, afirmou que o reajuste dos combustíveis levará a aumento nos preços e inflação em toda cadeia produtiva brasileira, incluindo a do comércio eletrônico, em razão do aumento de custos dos frete das encomendas expressas.
Em nota, João Sanzovo, presidente da Abras (Associação Brasileira de Supermercados), afirmou que o aumento no valor dos combustíveis terá reflexo em toda a cadeia de abastecimento e irá penalizar todos os setores da sociedade. Com informações da Folhapress.

Máquina de tramoias

O publicitário Marcos Valério - 31/05/2012
O publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza, de 56 anos, já ameaçou contar o que sabe umas 300 vezes. Nunca deu certo, fosse porque não tinha o que contar, não contava tudo o que sabia ou não oferecia provas do que dizia.
Na semana passada, Marcos Valério, que está preso desde 2013, cumprindo pena por corrupção, lavagem de dinheiro, peculato, evasão de divisas e formação de quadrilha, conseguiu finalmente fechar um acordo de delação premiada com a Polícia Federal. Pela sua biografia, tem potencial para incriminar meio mundo.
O publicitário tornou-se nacionalmente conhecido por sua participação no mensalão do PT, esquema para o qual levou sus experiência de ter sido figura central no chamado mensalão tucano, em Minas Gerais.
Segundo o jornal Folha de São Paulo, a delação de Marcos Valério já possui 60 anexos que foram escritos à mão por ele e digitalizados por policiais.
A publicação sustenta que ele cita dois ex-presidentes, Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva; e os senadores tucanos Aécio Neves e José Serra. Essa delação já tinha sido rejeitada pelo Ministério Público Federal, em Minas, mas a PF continuou investigando os crimes relatados pelo publicitário e coletando indícios para tentar homologar o acordo. Marcos Valério já assinou o acordo, a PF já enviou para o STF e agora aguarda pela homologação.
Em abril passado, VEJA teve acesso aos capítulos da proposta anterior de declaração premiada encaminhada ao MPF. Entre os temas estava um plano do PT para subornar o então ministro Joaquim Barbosa, que exercia a função de relator do mensalão no Superior Tribunal Federal (STF); informações sobre o caixa dois de petistas e tucanos e até mesmo o nome dos mandates do assassinato do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel.
Os procuradores, porém, não aceitaram a proposta de delação. Valério queixava-se de que havia uma operação destinada a evitar que ele rompesse o silêncio.
Diante da recusa do Ministério Público, os advogados do operador do mensalão então negociaram os termos de uma delação com a Polícia Federal. É esse acordo que acaba de ser selado.
Com base no conteúdo de depoimentos anteriores que ele prestou à Justiça, sabe-se que ele tem informações sobre o escândalo da Petrobras, detalhes inéditos do mensalão do PT e de um suposto esquema de propina que envolve Aécio Neves. Se ele vai falar com propriedade, só o tempo dirá.
 Fonte: veja.com

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Universitária é presa suspeita de vender drogas no alojamento de universidade no PI

Dezenas de pedras de crack foram encontradas pela Polícia Militar (Foto: Divulgação/ Polícia Militar)
Policiais militares do 4º Batalhão da Polícia Militar de Picos, 110 km ao Sul de Teresina, prenderam em flagrante nesta sexta-feira (21) uma estudante do curso de biologia de 22 anos suspeita de vender drogas dentro do alojamento da Universidade Federal do Piauí (UFPI) na cidade. A Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Comunitários, informou que após apurar todas as informações necessárias, irá tomar as providências cabíveis, sabendo que todos têm direito à ampla defesa e ao contraditório.
De acordo com o tenente-coronel Edwaldo Viana, junto com a mulher foi preso também um homem de 26 anos que seria o responsável pela droga. Houve também a apreensão de um adolescente de 16 anos. “O homem era o dono do ponto de venda do entorpecente. A estudante comprava por um preço mais baixo e revendia dentro do alojamento da universidade. Ela fazia isso sempre e chegamos ao grupo depois de investigações", contou.
Ainda segundo o comandante, com o grupo foram encontradas drogas e armas. “Foram dezenas de pedras de crack, um celular, facas e um revólver de calibre 22 de fabricação caseira. Havia também um vasto material para embalar as drogas. A prisão ocorreu por volta das 12h30 no bairro Parque de exposição”, afirmou.
Os três foram encaminhados à Delegacia Regional de Picos para os procedimentos necessários. Universitária é presa suspeita de vender drogas no alojamento da UFPI
Nota da UFPI 
UFPI, por meio da Superintendência de Comunicação Social e da Coordenadoria de Comunicação Social, informam que a estudante do Campus Senador Helvídio Nunes de Barros, de Picos, e moradora da Residência Universitária, detida no bairro Parque de Exposições, prestou depoimento na Central de Flagrantes de Picos. A estudante está sendo acompanhada por uma psicóloga e uma assistente social do Núcleo de Assistência Estudantil do Campus.
A Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Comunitários, após apurar todas as informações necessárias, irá tomar as providências cabíveis, sabendo que todos têm direito à ampla defesa e ao contraditório.
Segundo a diretoria do Campus, são realizadas vistorias periódicas na Residência Universitária, e não há registro de ocorrências desse tipo no local. Informa também que existe vigilância 24h e acompanhamento com psicólogos e assistentes sociais aos moradores da Residência.

Aumento de preço da gasolina afeta de ônibus a alimentos

economia-compras-mercado-alimentos
O aumento nos impostos PIS e Cofins cobrados sobre combustíveisanunciado na quinta-feira (20) pelo governo, não deve afetar apenas a conta paga nos postos de gasolina. Outros produtos de diferentes áreas também podem ser impactados pela medida.
De acordo com André Braz, economista da FGV, a alta nos impostos dos combustíveis tem o poder de influenciar até mesmo com os alimentos
“Vamos ter um impacto direto no IPCA [índice nacional de preços ao consumidor]. Por outro lado, teremos um impacto indireto nos produtos de gondola e até em passagens de ônibus e fretes”, disse Braz.
No aumento mais significativo, o governo dobrou a alíquota sobre o litro de gasolina: de 38 centavos para 79 centavos por litro. “Surpreendeu todo mundo. É mais do que dobrar”, afirmou Braz. O objetivo é gerar uma arrecadação extra de 10,4 bilhões de reais neste ano para cobrir o rombo nas contas públicas.
Honório Pinheiro, presidente da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), ressalta que o aumento impacta “no transporte de matérias primas e de produtos industrializados, o que inevitavelmente acaba recaindo sobre o bolso do consumidor final”.
Já Telêmaco Genovesi, sócio e gestor do Grupo GGR, prevê que o impacto pode não ser imediato, mas que ainda será sentido. “Esse custo será repassado na inflação nos próximos meses, portanto, ainda sentiremos os efeitos desse aumento no futuro”, afirmou.
Na noite de quinta-feira, Temer disse que a decisão anunciada pelo governo de aumentar os impostos está em linha com a responsabilidade fiscal e será bem compreendida pela população.
Em nota, a ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados) repudiou a decisão do governo e disse que “esse acréscimo no valor dos combustíveis terá reflexo em toda a cadeia de abastecimento e irá penalizar todos os setores da sociedade”.
Previsão de inflação sobe
A FGV/IBRE prevê que o aumento dos impostos sobre o combustível terá um peso de 0,4 ponto percentual na inflação. Isso, porém, não é motivo para um temor, de acordo com Braz.
“Com esse impacto, o IPCA [Índice de Preços ao Consumidor Amplo] deve fechar em algo como 3,30%, 3,50%… Deve ficar quase um ponto percentual abaixo da meta [que é de 4,5% para 2017]. Ainda temos uma folga mesmo com impactos dessa magnitude”, disse o economista.
Aumento na venda do etanol
Para Braz, a forte alta na alíquota sobre o litro de gasolina deve fazer com que o etanol seja mais procurado nos postos. A diferença entre os PIS/Cofins da gasolina e do etanol passou de 26 centavos para 46 centavos.
“Dos três combustíveis, a gasolina sofreu muito mais. O movimento do etanol é discreto e isso abre espaço para ele. O impacto vai ser menor. Talvez haja uma migração para o etanol tentando segurar um pouco o orçamento, apesar de render menos que a gasolina”, afirmou.

Temer diz que queixa da indústria a aumento de tributo é natural

“É natural (haver) essas relativas incompreensões. A Fiesp sempre fez uma campanha muito adequada contra o tributo”, destacou, em rápida entrevista após a foto oficial da 50ª Cúpula do Mercosul, evento que ocorre em Mendoza, na Argentina.
Pato gigante - Fiesp
Pato gigante é colocado em frente ao prédio da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), na avenida Paulista, região central da cidade, em protesto contra a alta de impostos sobre combustíveis – 21/07/2017 (Ricardo Matsukawa/VEJA.com)
Nesta sexta, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) voltou a expor o pato amarelo inflável, um dos principais símbolos de manifestações pelo impeachment de Dilma Rousseff (PT), em sua sede em São Paulo, na Avenida Paulista. Na véspera, o presidente da entidade, Paulo Skaf, se disse “indignado” com a medida. Para ele, a elevação de tributos deve agravar a crise num momento em que a economia dá sinais de recuperação.
Temer rechaçou a possibilidade de a postura da classe empresarial ter alguma reação política, afetando a sua base de apoio. “Nenhuma, é natural reação econômica, ninguém quer tributo, mas quando todos compreenderem que é fundamental para incentivar o crescimento, manter a meta fiscal, para dar estabilidade ao país e para não enganar, não produzir nenhum ato governativo que seja enganoso ou fantasioso, para o povo, esta matéria logo será superada”, disse.
Questionado se a elevação de PIS/Cofins seria suficiente para manter o ajuste ou se o governo pode anunciar mais elevação da carga tributária, Temer afirmou que “não há previsão” de novos aumentos de impostos. “Por enquanto, estamos atentos, a equipe econômica está atenta a isso apenas para esse aumento. Não sei se haverá necessidade ou não, mas naturalmente haverá diálogo e observações sobre isso”, afirmou
Temer voltou a dizer que quando assumiu o governo havia a expectativa da recriação da CPMF e ele conseguiu não reeditar o tributo. “Vocês se recordam quando eu cheguei, nós estávamos com o signo da CPMF, todos achavam que nós iríamos restabelecer a CPMF, não o fizemos durante mais de catorze, quinze meses”, afirmou. “E agora, exata e precisamente para manter o crescimento, para incentivar o crescimento, para manter a meta fiscal, foi indispensável que fizéssemos o aumento relativamente a PIS/Cofins apenas ao combustível”, completou.
O presidente salientou que o aumento anunciado nesta quinta-feira não é geral, atinge apenas o setor de combustível. “A CPMF seria algo que apanharia todos os depositantes de bancos, e eu compreendo a reação da Fiesp, reação mais do que razoável”, reforçou.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Anna Carolina Jatobá deve ter saída temporária no Dia de Finados
Anna Carolina Jatobá e Alexandre Nardoni: 3483_nardoni
Autorizada pela Justiça a progredir para o regime semiaberto, a detenta Anna Carolina Jatobá, de 39 anos, deverá ser beneficiada com a saída temporária da prisão apenas no Dia de Finados, em novembro deste ano. De acordo com o promotor Luiz Marcelo Negrini, da Vara de Execuções Criminais da Taubaté, a detenta terá de passar por um período de avaliação de ao menos trinta dias, o que torna impossível ter autorização para a saída do Dia dos Pais, em agosto.
Condenada a 26 anos e oito meses de prisão pelo assassinato de sua enteada, Isabella Nardoni, em março de 2008, Anna Carolina teve concedida na segunda-feira (17), pela juíza Sueli Zeraik de Oliveira Armani, da 1.a Vara de Execuções Criminais de Taubaté, a progressão para o regime semiaberto por já ter cumprido nove anos da pena. Além do bom comportamento, a juíza levou em conta laudo criminológico feito por psiquiatra, assistente social e psicólogo atestando que a possibilidade de reincidência no crime é nula. A condenada sempre negou ter matado a enteada. No sistema prisional paulista, a saída temporária dos presos fora do regime fechado para visitar a família pode ser concedido cinco vezes ao ano, segundo a Lei de Execução Penal. Cada saída poderá durar até sete dias corridos. Em São Paulo, as saídas são concedidas no Natal e Ano Novo, Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Pais e Finados. Anna Carolina pode ainda pedir autorização para frequentar curso supletivo profissionalizante, segundo grau ou faculdade em estabelecimento externo, na comarca onde cumpre pena, no caso, Taubaté.
Se autorizada, ela pode sair todo dia, mas somente o tempo necessário para assistir às aulas, devendo comprovar o bom aproveitamento do curso. Há ainda a possibilidade de Anna Carolina trabalhar fora da prisão, mas é mais provável que a presa fique trabalhando na parte interna do presídio. Outro condenado pelo crime, Alexandre Nardoni, pai de Isabela, ainda não tem direito ao regime semiaberto por ter sido condenado a uma pena maior, de 30 anos, dois meses e vinte dias de prisão. Isso porque o fato de ser ascendente direto da vítima agravou sua pena.
A mãe de Isabella, Ana Carolina Oliveira Francomano, reagiu com indignação à progressão de Anna Jatobá ao regime semiaberto. Em vídeo divulgado nas redes sociais ela considera absurdo o benefício diante da atrocidade cometida pela presa. Ela se disse arrasada com a notícia e que se sente, como mãe, penalizada pelo pouco tempo que a mulher condenada de matar sua filha ficou presa. A reportagem entrou em contato com Ana Carolina e com seu atual marido, Vinícus Francomando, mas não obteve retorno.

Audiência final sobre herança de Marcos Paulo é adiada

Slide 1 de 112: <p><p>A ‘novela’ criada em torno da herança de Marcos Paulo ganhou um novo desdobramento.</p><br><p><strong>VOCÊ VIU?</strong> <a href="http://famosidades.com.br/famosos/william-bonner-responde-pergunta-sobre-suposta-namorada.html">William Bonner responde pergunta sobre suposta namorada</a></p><br><p><a href="http://famosidades.com.br/tv/eliminado-do-masterchef-victor-recebe-proposta-de-paola.html">Eliminado do "MasterChef", Victor recebe proposta de Paola</a></p><br><p><a href="http://famosidades.com.br/famosos/filha-de-flavia-alessandra-e-pedida-em-casamento-no-marrocos.html">Filha de Flávia Alessandra é pedida em casamento no Marrocos</a></p><br><p><a href="http://famosidades.com.br/tv/evaristo-costa-assume-comando-do-fantastico.html">Evaristo Costa assume comando do "Fantástico"</a></p><br><p>A audiência final para definir a divisão dos bens do ator – marcada para esta quarta-feira (19) – foi adiada.</p><br><p>De acordo com o jornal “O Dia”, a desembargadora Conceição A. Mousneir, relatora do caso, precisou sair de licença médica.</p><br><p>Antonia Fontenelle, viúva do diretor, usou seu perfil no Instagram para desejar melhoras à luíza.</p><br><p>"Eu estimo a pronta recuperação da senhora desembargadora", disse.</p><br><p>Marcos Paulo morreu em novembro de 2012.</p></p>
A audiência final para definir a divisão dos bens do ator – marcada para esta quarta-feira (19) – foi adiada.

De acordo com o jornal “O Dia”, a desembargadora Conceição A. Mousneir, relatora do caso, precisou sair de licença médica.

Antonia Fontenelle, viúva do diretor, usou seu perfil no Instagram para desejar melhoras à luíza.

"Eu estimo a pronta recuperação da senhora desembargadora", disse.

Marcos Paulo morreu em novembro de 2012.

Gabinete de Temer tem misturador de voz para evitar gravações

O presidente Michel Temer
O Palácio do Planalto instalou no gabinete do presidente Michel Temer (PMDB)um misturador de voz para impedir que sejam realizadas gravações de áudio no local. A decisão, revelada pelo Blog do Camarotti, do portal G1, foi tomada após o empresário Joesley Batista, da JBS, ter gravado uma conversa com Temer durante um encontro no Palácio do Jaburu.
A gravação feita por Joesley fez parte do acordo de colaboração premiada que o empresário firmou com o Ministério Público Federal (MPF). A Procuradoria-Geral da República (PGR) se baseou nas informações reveladas pela delação para apresentar denúncia contra Temer por corrupção passiva. O misturador de voz emite ruídos que impedem a compreensão de conversas captadas por gravadores ou celulares. Um parlamentar que faz uso de aparelho auditivo chegou a reclamar de chiados ao se encontrar com o presidente no gabinete, já que o sistema também causa interferências nesses equipamentos.
A instalação do misturador de voz cabe ao Gabinete de Segurança Institucional (GSI). Procurada, a assessoria do órgão disse que não vai se manifestar sobre o assunto.
Fonte: veja.com

Moro confisca R$ 606 mil de Lula

Dinheiro estava em quatro contas bancárias do ex-presidente

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva
Por ordem do juiz Sergio Moro, o Banco Central acaba de bloquear R$ 606.727 pertencentes ao ex-presidente Lula.
O dinheiro estava depositado em quatro contas bancárias do ex-presidente: R$ 397.636 no Banco do Brasil, R$ 123.831 na Caixa Econômica Federal, R$ 63.702 no Bradesco e R$ 21.557 no Itaú.
O confisco inclui ainda três imóveis, localizados em São Bernardo do Campo, um terreno e dois automóveis. 
Na sentença em que condenou Lula a nove anos e seis meses de prisão pelo tríplex, Moro havia exigido o pagamento de R$ 16 milhões. O valor é referente a uma conta que seria usada pela empreiteira OAS para abastecer o PT e será devolvido à Petrobras. 
“Como já decretado o sequestro e o confisco do apartamento, o valor correspondente deve ser descontado dos dezesseis milhões, restando R$ 13.747.528”, disse Moro no documento em que pede o sequestro.
“Cabe, portanto, a constrição de bens do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva  até o montante de R$ 13.747.528″, escreveu o magistrado.
O pedido de sequestro foi feito pelo Ministério Público Federal. Esse requerimento do MPF incluiu também dona Marisa. A ex-primeira-dama faleceu no dia 3 de fevereiro, e teve sua pena extinta.
Fonte: veja.com

quarta-feira, 12 de julho de 2017

MP pede que reforma trabalhista seja vetada e estuda ação
MP pede que reforma trabalhistaseja vetada e estuda ação: MP diz que a reforma aprovada tem 14 pontos que violam a Constituição e convenções internacionais ratificadas pelo Brasil
© DR MP diz que a reforma aprovada tem 14 pontos que violam a Constituição e convenções internacionais ratificadas pelo Brasil
O Ministério Público do Trabalho pediu nesta quarta-feira (12) ao presidente Michel Temer que vete a reforma trabalhista, aprovada pelo Senado na noite desta terça-feira (11), e afirmou que, caso as mudanças sejam sancionadas, pode entrar com uma ação de inconstitucionalidade junto ao STF (Supremo Tribunal Federal) ou questionar na justiça os pontos que considera que violam a Constituição.
Em nota técnica, o MP diz que a reforma aprovada tem 14 pontos que violam a Constituição e convenções internacionais ratificadas pelo Brasil.
"O papel do Ministério Público do Trabalho é aguardar eventual sanção, apresentar as inconstitucionalidades que fundamentariam os vetos e adotar as medidas adequadas, seja por meio de Ação Direta de Inconstitucionalidade, seja por meio de arguição de inconstitucionalidade em ações civis públicas", informou, em nota, o procurador-geral do Trabalho, Ronaldo Fleury.
Ele também pediu "coerência" ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que sinalizou que vai barrar medida provisória de Temer que ajusta a reforma.
Maia anunciou sua decisão nas redes sociais e declarou à reportagem que não pretende pautar a MP prometida pelo governo para atenuar a reforma trabalhista, em um acordo com a base aliada do Senado para garantir a aprovação da nova legislação, votada anteriormente na Câmara.
"Causa-nos surpresa porque o senador Romero Jucá apresentou inclusive um documento assinado pelo presidente Michel Temer no sentido de que haveria esses vetos e edição de medidas provisórias, regulamentando as matérias ali especificadas. Eu quero crer que o deputado Rodrigo Maia vá honrar esse compromisso e, principalmente, os parlamentares da base do governo", finalizou.
O MP diz que a reforma seria inconstitucional por não ter realizado amplo debate com a sociedade e também por violar tratados de direitos humanos do trabalho.
As mudanças também provocariam o "desvirtuamento inconstitucional do regime de emprego e a negação de incidência de direitos fundamentais" e violariam o "direito fundamental à jornada compatível com as capacidades físicas e mentais do trabalhador"; e o "direito fundamental ao salário mínimo, à remuneração pelo trabalho e a salário equitativo", entre outros pontos.
REFORMA TRABALHISTA
O projeto que altera as leis trabalhistas foi aprovado nesta terça depois de uma sessão tumultuada em que o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), chegou a apagar as luzes e desligar os microfones do plenário. Senadoras da oposição ocuparam a mesa diretora da Casa por sete horas, impedindo Eunício de presidir a sessão. O texto foi aprovado por 50 votos favoráveis e 26 contrários. Não foram feitas alterações ao projeto da Câmara e o texto segue para sanção presidencial.
A reforma estabelece a prevalência, em alguns casos, de acordos entre patrões e empregados sobre a lei, o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical, obstáculos ao ajuizamento de ações trabalhistas, limites a decisões do Tribunal Superior do Trabalho, possibilidade de parcelamento de férias em três períodos e flexibilização de contratos laborais, entre outros pontos.
Os defensores das medidas afirmam que elas são necessárias para modernizar uma legislação ultrapassada e que inibe o desenvolvimento econômico. Os críticos dizem que as novas regras precarizam as relações do trabalho.
Para convencer a base aliada a aprovar a reforma trabalhista sem modificar o projeto que veio da Câmara, o governo firmou em maio um acordo com senadores em que previa alterações na legislação aprovada a partir da edição de uma medida provisória.
Com isso, Temer evitava que a proposta fosse alterada no Senado e tivesse que voltar à Câmara, o que implicaria em um atraso no cronograma das reformas. Para sinalizar força ao mercado, num momento de forte crise política, o Planalto ofereceu a MP como alternativa para acelerar a aprovação do projeto.
Entre os pontos que devem ser modificados via MP estão regras para o contrato de trabalho intermitente, de autônomos, e o trabalho de gestantes e lactantes em locais insalubres. Com informações da Folhapress.

‘A lei ainda está acima de você’, diz Moro ao condenar Lula

Lula é condenado à prisão por Sergio Moro
O juiz Sergio Moro negou qualquer “satisfação pessoal” ao condenar Lula. Ao contrário, ele disse ser “lamentável” que um ex-presidente seja condenadocriminalmente.
“Prevalece, enfim, o ditado “não importa o quão alto você esteja, a lei ainda está acima de você'”, disse na sentença.

URGENTE: Lula é condenado a nove anos e meio de cadeia

Lula condenado à prisão por Sergio Moro
O juiz Sergio Moro condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e meio de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A sentença, anunciada nesta quarta-feira, é a decisão derradeira de Moro no processo em que o petista foi acusado pela força-tarefa da Lava-Jato de receber propina da OAS, uma das empreiteiras do chamado clube do bilhão, que se refestelou nos últimos anos com contratos bilionários na Petrobras. Entre as vantagens recebidas por Lula, segundo a acusação, está um apartamento tríplex no balneário do Guarujá, em São Paulo. É a primeira vez que um ex-presidente do Brasil é condenado por corrupção.
Pouco menos de dez meses se passaram entre a acusação formal feita pelos procuradores da Lava-Jato e a sentença do juiz Moro. Ao acusar Lula, a força-tarefa apontou o ex-presidente como “chefe” do esquema de corrupção montado na Petrobras e o acusou de participar, em parceria com a OAS, do desvio de mais de  87 milhões de reais dos cofres da estatal. “Após assumir o cargo de presidente da República, Lula comandou a formação de um esquema delituoso de desvio de recursos públicos destinados a enriquecer ilicitamente, bem como, visando à perpetuação criminosa no poder, comprar apoio parlamentar e financiar caras campanhas eleitorais”, escreveram os procuradores. “Lula era o maestro dessa grande orquestra”, chegou a dizer, na ocasião, o coordenador da força-tarefa, Deltan Dallagnol.
De acordo com a denúncia, Lula recebeu 3,7 milhões de reais  em vantagens indevidas pagas pela OAS. A maior parcela,  1,1 milhão de reais, corresponde ao valor estimado do tríplex, cujas obras foram concluídas pela empreiteira. Os procuradores sustentaram ainda que a companhia gastou  926.000 reais para reformar o apartamento e outros 350.000 reais para instalar móveis planejados na unidade, sempre seguindo projeto aprovado pela família Lula. A acusação inclui 1,3 milhão de reais que a OAS desembolsou para pagar uma empresa contratada para armazenar bens que o petista levou para São Paulo após deixar a Presidência da República. Desde o início da investigação que deu origem à sentença agora proferida por Moro, Lula sempre negou ter recebido vantagens da OAS. O ex-presidente ainda é réu em outros quatro processos.
Fonte: veja.com